• Avenida Pedro Almeida, 145 - Teresina - PI, 64052-280
  • (86) 3233-9506 | 3232-3534 | 3133-6060 | 8858-3872
  • comjornalismo@icsrita.org.br
Em Notícias

Amor quebrando barreiras através da música

O amor por um filho é capaz de levar uma mãe a fazer coisas surpreendentes. Dona Joana de Jesus Lima que o diga. Com 67 anos, nove filhos e 11 netos, ela resolveu, há três anos, que iria aprender uma coisa nova: tocar teclado. O fato por si só já seria um grande exemplo se não fosse pelo detalhe que a levou até essa decisão.

Dona Joana é mãe de Márcio José de Sousa Lima, de 27 anos, que nasceu com Síndrome de Down. O caçula dos nove filhos da costureira aposentada a levou por um caminho que nunca imaginaria trilhar. Um caminho cheio de sons, atividades e cores.

A decisão não foi muito rápida. Ela conta que, desde criança, Márcio adorava a sonoridade do bater das latas que os irmãos lhe davam para brincar. “Antes de me aposentar, eu e minha filha nos juntamos pra dar uma bateria de presente para ele, que tinha 12 anos na época”, conta a aposentada, que viu no instrumento uma maneira de fazer com que o filho se distraísse e ao mesmo tempo ficasse dentro de casa.

Os portadores de Síndrome de Down precisam ser estimulados. E, mesmo com poucos recursos, dona Joana sempre foi consciente e lutou para que o filho fosse um cidadão ativo e integrado na sociedade. “Desde bebê que eu caminho com ele para os consultórios médicos. E quando ele já era grandinho, nunca deixei que ele saísse da escola”, declara.

Querido pela vizinhança, Márcio, que segundo a mãe tocava “desengonçado”, encontrou na casa ao lado o caminho para se aprofundar no instrumento que tanto gosta. “O namorado da nossa vizinha conheceu o Márcio e quis ajudá-lo. Primeiro, levou na antiga Escola Técnica e não aceitaram. Depois, ele conseguiu que ele fosse matriculado no Projeto Música para Todos e está aqui até hoje”, conta dona Joana, relembrando o fato que ocorreu há cinco anos.

O amigo era quem acompanhava Márcio nas aulas. Mas o casamento e a mudança para outro bairro inviabilizaram que a assistência continuasse. Ciente de que aquelas aulas eram importantes para o filho, dona Joana não hesitou. “Eu não ia deixá-lo parar de frequentar as aulas. Por isso, decidi acompanhá-lo em todas”, relembra.

A atmosfera do Projeto Música para Todos inspirou dona Joana a participar mais ainda daquela nova realidade. “Eu vinha acompanhar o Márcio e ficava só assistindo, do lado de fora, durante dois anos. Foi quando resolvi me informar sobre como poderia ser aluna do Projeto também”, explica.

Após ser aceita como aluna, mãe e filho frequentam juntos o Projeto Música para Todos semanalmente para as suas respectivas aulas. Os dois ônibus necessários para ida e volta não são nenhum incômodo para eles. “Quando chega perto do dia da aula, ele já começa a perguntar, a pedir e é muito bom saber que isso o deixa feliz”, afirma.

Aplicada, Dona Joana quer utilizar os conhecimentos musicais na Igreja que frequenta. Eu acho muito bonito a pessoa que toca acompanhando a cantoria. Às vezes, acontece do jovem não estar lá para tocar e ficam só na voz. Com o tempo, vou poder ajudar”, planeja.

Já Márcio prefere os ritmos mais agitados. A batida rápida revela que o gosto do rapaz é bem regional. “Gosto de forró”, resume. “Toco também música internacional”, revela.

Sem dúvida, a música foi a atividade que conquistou os corações de mãe e filho. “Já levei o Márcio na jardinagem, já coloquei nas artes plásticas, mas isso aqui sempre foi com o que mais ele se envolveu”, enfatiza.

Sobre as dificuldades para conseguir levar adiante os sonhos de ambos, dona Joana é categórica. “Nós temos que seguir em frente, sem maltratar os filhos, sem xingar, sem esconder. As pessoas agora jogam seus filhos no lixo, e isso é um absurdo. Deus vem me ajudando esses anos todos a vencer, e a cada dia estamos vencendo mais”, afirma, abraçando sua sorridente demonstração de vitória.